sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Promessas, Palavras e Instantes


Não queiras saber o que sinto, porque basta que sintas o que digo…
Não te faço promessas, que as palavras são
as mesmas, e os atos é que te vão bastar, acredita.

As loucuras a que nos damos, são só instantes, e no instante seguinte,
podemos ser céu que sem terra não é azul;
podemos ser fogo, que sem vida não aquece;
Podemos ser metades, sem um todo a que se dessem…

Mas sejamos então o que pudermos, sejamos então o que quisermos;
que na espera mora o desconhecido: o incerto que mata a chama dos que não se entregam;
o deserto que tira a força aos que não se amam.

                    *                  

Sem comentários:

Enviar um comentário

Partilha comigo a tua teoria.