quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Fiz de Ti, Vida Minha


Fiz de ti a minha noite, o meu sonho,
o meu farol de luz.

Fiz de ti tudo o que podia fazer, porque era fácil
querer-te e na minha pele haviam rastos
teus e meus, e palavras que
trocámos quando fiz de ti tudo o que pude e
soube, vida minha que te
tive aqui, neste abraço quente de dois corpos com os nossos
nomes, que se amaram e que trocaram
beijos que me vão matar a sede,
quando já não puder fazer de ti aquela noite entre
as mil e uma noites, quando já não
puder cantar-te a canção entre as canções que
mais gostas e te embalam pela manhã,
sempre que gasto connosco todas as palavras de amor

que tu não ouves – é o grito que me escapa, depois
da saudade contida que fica aqui ao meu lado, no teu lado da cama

                    *                   

Sem comentários:

Enviar um comentário

Partilha comigo a tua teoria.