terça-feira, 25 de junho de 2013

Hei de te Amar, Amanhã

 

Amanhã meu amor, se puder, volto;

com os ventos, nas ondas do mar, mas só quando

menos esperares.

 

Se vier, se puder, se acontecer…

 

então

não me esperes que eu hei-de voltar,

e hei-de te amar sem demora, com tempo

para ti.

 

Mas só amanhã meu amor, sem promessas;

 

as mesmas que te não fiz

até hoje.

Tu sabes

 

- eu não faço promessas -

 

mas hei-de  te amar, amanhã, num

poema sem rimas que te escrevo assim,

 

sem tempo… mas com amor, no peito.

 

*

 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Partilha comigo a tua teoria.