sexta-feira, 3 de maio de 2013

Sei Lá

 

Tenho o coração tão cheio de tudo;

de mim, de ti, de nós.

Um nós que nunca o foi mas que eu amei.

Quero dizer, eu não amei; acho que ainda amo,

mesmo sem que o tenha sido.

 

Tenho os olhos cansados demais;

cansados de chorar por mim, por ti, por nós.

Um nós que esperei, mesmo sem que me o tenhas

Prometido;

um nós que era para ter sido e no fundo,

nunca o foi.

Porquê? Ah, sei lá.

 

Tenho  a vida vazia demais;

tu  não estás, e eu não quero mais ninguém.

Acompanham-me os livros, os sonhos e a tua ausência,

As histórias, os poemas e os momentos de angústia

por não saber de ti.

Eu até nem lamento nada,

a não ser por não sentires a falta de mim.

 

Tenho os braços livres demais;

por tantos abraços que nunca te dei.

Sei lá eu porque não te abracei;

sei lá eu porque ainda espero por ti;

sei la eu de nós, se no fundo nada sei.

 

Fim.

 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Partilha comigo a tua teoria.