terça-feira, 12 de março de 2013

Mudança

 

Calei os medos, as palavras,

as loucuras…

Tranquei as portas, as janelas,

a própria vida…

Fechei as malas, o passado,

os cadernos das lembranças.

 

Larguei os sonhos antigos…Sarei assim as feridas.

 

Não tive saída;

Ou deixava tudo para traz, ou não voltava a poder dar a partida!

 

Mudei o rumo, alterei o destino,

troquei de rota…

Pendurei os troféus, emoldurei os diplomas,

e tranquei na caixa a derrota.

 

Matei fantasmas, limpei as fotos,

pintei as paredes…

Cantei mais alto, mais certa,

mais segura.

 

Então, refiz-me de novo…

mais livre, mais calma e dura!

 

Antes, não sabia quem era… para onde ia

e o que queria.

Hoje, sei quem sou, o que quero

e para onde vou,

Sem receio dos sobressaltos de um novo dia.

 

É tão bom mudar e crescer…

e hoje saber

tudo aquilo  que ontem não sabia!

 

Rasguei os velhos poemas, escrevi novos e então,

curiosamente, até os li…

Não gostava do que antes escrevia,

pois creio que nunca os entendi.

Agora recrio, reescrevo e finalmente compreendo, que

posso não ser nada do que esperam que seja,

mas sou com tudo, tão resultante quanto aquilo que invento!

 

                               Fim.                     

 

4 comentários:

  1. Gosto particularmente da força que este teu poema transmite!
    Força essa que é fundamental para ti (e para todos nós) na luta do dia-a-dia!

    Beijo grande pra ti Menina e muito obrigado pelo belo momento de leitura que hoje trouxeste! :)

    ResponderEliminar
  2. Grata pelo vosso apoio... :) é bom ver-vos por cá. Abreijos! :)

    ResponderEliminar

Partilha comigo a tua teoria.