sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Amor Veneno

 

És veneno, foste veneno…

Veneno doce, que ao tomar, se tornou amargo…

És esperança, foste vontade…

Agora és veneno, lembrança, saudade.

 

És passado, tal como passa tudo…

És um ponto na rua pela qual passei.

És uma pintura, uma foto, uma música,

Que a dada altura, Num qualquer momento,

Sentada no meu espaço, somente escutei.

 

És veneno, sabor a morte, a saudade e sorte.

A sorte que não tive, mas que desejei.

És um resto de passado envenenado,

Que me foi pela vida dado,

E que inundada de amor, deliciada provei.

 

Amei o teu veneno, a tua textura, o teu sabor…

Amei-te com ternura,

Mas foste sol de pouca dura,

Amor envenenado que tomei.

Loucura venenosa que gostei.

Quanto, e por tanto tempo, sozinha te amei.

 

                               Fim.                     

 

2 comentários:

  1. gostei muito do que li. joania gosto muito de ti. e td o que escreves-te esta correto. boijos do artur

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hò mano... tambem gosto muito de ti. Fico feliz que gostas, e que te identificas. beijinhos enormes. Obrigada por tudo... ***********

      Eliminar

Partilha comigo a tua teoria.